Defensoria fortalece atividades do projeto “Ensina-me a sonhar” em centros socioeducativos, em Manaus

Na primeira ação do ano, iniciativa celebrou o aniversário de adolescentes que vivem em uma das unidades

O projeto “Ensina-me a sonhar” da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) retomou este mês as atividades visando à ressocialização de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. Para 2024, o programa vai firmar novas parcerias para proporcionar ações afirmativas que contribuam com o desenvolvimento social de socioeducandos.

Entre as atividades, a DPE-AM realizou a primeira ação “Feliz aniversário”, voltada para os adolescentes que estão cumprindo medidas socioeducativas de internação em Manaus. De acordo com a defensora Monique Cruz, uma das coordenadoras do projeto, com a iniciativa, os participantes do programa podem escolher comemorar o aniversário com uma sessão de cinema ou passeio em um parque de diversões.

A ação objetiva valorizar o adolescente que está longe de sua família, ressignificando suas crenças e atitudes ao longo do cumprimento de sua medida socioeducativa. A intenção do programa é levar um gesto de acolhimento nessa data comemorativa e mostrar que acreditamos nesse jovem que está em formação e tentar redefinir sua conduta diante da vida. Então ele certamente é merecedor de novas oportunidades e estamos juntos para orientá-lo e acompanhá-lo nesse processo

defensora Monique Cruz – coord. do Ensina-me a sonhar

Conforme a defensora, a atuação da Defensoria transpassa as funções jurídicas, alcançando também o compromisso com o incentivo psicossocial de forma que reduza a reincidência dos jovens e possibilite a construção de novas possibilidades. Na sexta-feira (26), a primeira ação beneficiou uma adolescente que completou 13 anos. 

É uma iniciativa singela com o intuito de fortalecer o adolescente em sua autoestima e esperança num amanhã melhor, com novas possibilidades de escolha, mas que por ora, ainda precisa cumprir a medida longe de sua família – o espaço natural e ideal de celebração de datas significativas

defensora pública Dâmea Mourão, coord. do Ensina-me a sonhar  

“Nós realizamos o trabalho de ressocialização e ressignificação desses adolescentes com atividades pedagógicas, socioeducativas, rodas de conversa, palestra, com cursos e oficinas, para observarmos a potencialidade deles, de forma que aprimoremos a evolução dentro da medida”, complementou Kelly Coutinho, gestora de um dos Centros Socioeducativos que conta com o apoio do projeto Ensina-me a sonhar, da Defensoria. 

Texto: Isabella Lima 

Fotos: Evandro Seixas/DPE-AM 

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
Pular para o conteúdo