Defensoria assegura, por meio judicial, manutenção de tratamento para pacientes renais em Manaus

Pessoas que realizam terapia renal substitutiva no Hospital Sociedade Portuguesa Beneficente denunciaram a possível suspensão do serviço com o fim do contrato com a SES-AM (Fotos: Divulgação-DPE/AM)

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) assegurou, por meio de uma liminar, a continuidade da prestação de serviços de hemodiálise aos pacientes que atualmente realizam Terapia Renal Substitutiva no Hospital Sociedade Portuguesa Beneficente do Amazonas. A decisão foi proferida na noite de terça-feira (29), pelo Tribunal de Justiça do Amazonas, e estabelece multa R$ de 30 mil em caso de descumprimento. 

De acordo com os defensores que assinam a ação, a medida judicial foi tomada após um grupo de pacientes renais procurarem a Defensoria, demonstrando preocupação com a possível suspensão dos atendimentos, que estariam garantidos apenas até o dia 1o de setembro, data de vencimento do último termo aditivo do contrato firmado com a Secretaria de Saúde.  

(…) a atuação da DPE-AM no presente caso busca salvaguardar os direitos e interesses de um grupo de pessoas em situação de extrema vulnerabilidade: pacientes dialíticos que temem a interrupção de seu tratamento, sujeitos à flagrante violação dos direitos mais fundamentais à pessoa humana: a saúde, integridade física e sua própria vida

trecho da ação, protocolada pela na terça-feira (29)

Na ação, o Núcleo de Defesa da Saúde (Nudesa) e a Defensoria Especializada em Interesses Coletivos (DPEIC) pedem não só que o Estado mantenha a prestação do serviço para os pacientes renais, como também o envio de informações e documentos que se revelarem necessários à maior instrução da demanda.  

Em sua decisão, o magistrado Mateus Guedes Rios deferiu a liminar pleiteada, determinando que as providências para a continuidade e a não interrupção da prestação dos serviços de hemodiálise aos pacientes sejam tomadas e que os requeridos apresentem toda a documentação solicitada no prazo de 10 dias. Caso haja descumprimento, o juiz estipulou ainda multa de R$ 30 mil por dia.  

Sobre a Defensoria

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas é uma instituição cuja função é oferecer, de forma integral e gratuita, assistência e orientação jurídica às pessoas que não possuem condições financeiras de pagar as despesas de uma ação judicial ou extrajudicial. Além disto, a Defensoria promove a defesa dos direitos humanos, direitos individuais e coletivos e de grupos em situação vulnerável. A instituição não cobra por nenhum dos seus serviços.   

Além das unidades distribuídas pela capital, A DPE-AM conta com 12 polos (Polo do Juruá funciona com atendimento virtual) no interior, cinco Unidades Descentralizadas do Interior (UDIs) e mais quatro sedes na Região Metropolitana. Em 2022, foram registrados mais de 800 mil atendimentos nas áreas cível, criminal e de família, um salto de mais de 40% de crescimento, comparado com 2021.    

CANAL EXCLUSIVO PARA A IMPRENSA

Faça parte da comunidade DPE Notícias, pelo WhatsApp, o novo canal exclusivo para jornalistas criado pela Defensoria Pública do Amazonas para a distribuição de releases, fotos, vídeos e outros conteúdos para a imprensa.   

Para entrar, basta acessar o link https://chat.whatsapp.com/F39Xrs2JRiJKXytK8hJw9m   

 
Texto: Kelly Melo 

Foto: Divulgação-DPE/AM 

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
Pular para o conteúdo